O INSTITUTO LAR DA JUVENTUDE DE ASSISTÊNCIA E EDUCAÇÃO

é conhecido popularmente como

PARQUE DOM BOSCO

A instituição é uma obra social que é representada por salesianos. A presença dos salesianos em Itajaí teve início em 1956, quando o padre Pedro Baron e o clérigo Agenor dos Passos assumiram a direção do Ginásio de Itajaí, que, até então, era de uma Sociedade Anônima. A partir daí, o colégio passou a ser da Congregação Salesiana e foi constituído o Colégio Salesiano de Itajaí integrante da Inspetoria Salesiana do Sul do Brasil, São Pio X.

1961

            Em 1961, no bairro Matadouro, foi fundado o Oratório Festivo Salesiano, depois, Parque da Juventude Dom Bosco. Desde o início, era desejo dos superiores que abrisse um oratório festivo, espaço para atendimento e acolhimento de crianças, adolescentes e jovens. Os salesianos se propunham a começar duas obras: um colégio e uma obra social.

          O Parque Dom Bosco nasceu da iniciativa de oferecer um lugar para os jovens em situação de risco social. Não apenas um local de instrução religiosa, ou um espaço para esporte e recreação, mas principalmente uma casa de formação humana, na qual o jovem poderia se sentir acolhido, com harmonia, confiança, cordialidade e amor. Nesse espaço, os jovens aprendiam bons costumes, a valorizar a vida e um “ofício”, tornando-se, como diria São João Bosco:

“BONS CRISTÃOS, HONESTOS CIDADÃOS”

Festa de Dom Bosco, inauguração do galpão

          A obra social salesiana teve início em 25 de março de 1961. No princípio, a obra consistia em uma recreação juvenil e pastoral popular com finalidade evangelizadora. Porém, já em 1963, foi fundada a sociedade civil com o nome de Parque Dom Bosco, e deu-se início às ações de caráter social, como cursos de corte e costura, barbeiro, serviço de farmácia e ambulatório. Em 1974, o Parque Dom Bosco transformou-se em Instituto Lar da Juventude de Assistência e Educação, ampliando suas ações. O desenvolvimento do Parque contou desde o início com o auxílio constante do Salesiano irmão Aquilino Minella, que dedicava seu tempo, aos sábados e domingos, para trabalhar com os meninos e meninas da comunidade em atividades de evangelização e esporte e com a dedicação e apoio do P. Antônio Possamai.